, , ,

Como evitar as gafes no trabalho?

7 de jan de 2011

Todo mundo sabe que chegar atrasado no trabalho pega mal. Encher a mesa de adesivos e outros objetos não relacionados à empresa também não é bom.

 

Mas existem outras gafes que geram grandes dúvidas.

 

Por exemplo: sair e não dar conta de responder aos 200 e-mails que chegam à sua caixa de entrada. Isso causa má impressão? "Se os e-mails estiverem ligados à atividade profissional da pessoa, causa, porque é preciso respondê-los. Agora, se for uma piada ou qualquer mensagem não relacionada ao trabalho, o melhor é deletar", responde Sonia Carminhato, diretora operacional do Grupo Soma - empresa que presta consultoria em Recursos Humanos.

 

Alguns errinhos são comuns, principalmente no início da carreira, como no caso da recepcionista Endy Castelline. "Eu remarquei uma consulta de paciente, mas depois não lembrava que dia tinha marcado. Então minha chefe foi verificar a agenda e viu que eu tinha sinalizado os pacientes que faltaram e o dia em que foram remarcados ao lado do nome de cada um. Ela me perguntou porque eu tinha marcado naquele dia e horário, pois era um paciente conhecido dela e que trabalha na hora que estava marcada. Tivemos que ligar para o paciente e agendar de novo a consulta", conta a jovem de 18 anos.

 

No entanto, pessoas mais experientes não estão livres de cometer uma gafe. O pregoeiro e assistente em administração Marco Antonio da Silva trabalha há 24 anos numa empresa e também conta um episódio. "Eu estava em uma ligação falando com uma pessoa, falando sobre assuntos de serviço e em outra ligação, que era assunto pessoal meu. E na correria, eu troquei as bolas: chamei o fornecedor de ‘minha querida’ e ‘meu benzinho’, como eu chamo a minha esposa. Do outro lado da linha, o fornecedor ficou ‘meio assim’ comigo. Era um homem, e ele deve ter pensado que eu sou gay, ou alguma coisa assim", diz.

 

Mas nem todo mundo erra por falta de atenção. Algumas pessoas fazem de tudo só para mostrar produtividade ao chefe, e até almoçam na mesa de trabalho, em frente ao computador. Será que isso vale? "Não vale! Quem faz uma coisa dessas está violando a regra de que todo funcionário tem direito a uma hora de almoço. Para mostrar produtividade, o ideal é trabalhar por metas e resultados na hora certa", declara Sonia.

 

E a mesma ideia serve para quem nunca diz não à sua liderança. De acordo com a especialista, o que pega mal é assumir que você pode fazer algo que não tem capacidade ou tempo para realizar. "Mas não diga simplesmente ‘não posso fazer isso’. Proponha uma saída a seu superior, como um prazo maior ou a divisão de tarefas", sugere.

 

Alguns colegas de trabalho adoram fazer uma festinha, churrasco ou happy hour após o expediente, e outros acham que devem participar para não "ficar de fora". A diretora operacional explica que isso é mito, já que as pessoas têm liberdade de escolha, especialmente fora do horário de trabalho. "Eu, por exemplo, não iria tomar um chope depois do expediente. E não estaria perdendo nada por isso", fala.

 

Uma situação complicada é quando alguém precisa ir embora enquanto os outros funcionários estão todos trabalhando ainda - até aqueles que já deveriam ter saído. "Não é errado sair se a pessoa tem algum compromisso, vai buscar os filhos na escola, cursa faculdade. A empresa não pode avaliar um colaborador pelo tempo de hora extra que ele faz. Isso só é gafe se ele tiver se comprometido a terminar alguma coisa e não cumprir", observa Sonia.

 

Ela citou algumas gafes catastróficas. Preste atenção e fuja desses micos:

 

- Entrar na sala sem bater, nem pedir licença;
- Atender ao celular quando se está cercado de colegas;
- Rir muito alto no local de trabalho;
- Demorar a voltar do horário de almoço e, com isso, deixar um colega faminto esperando para ser substituído num plantão;
- Ir trabalhar com decotes indiscretos, barriga de fora, roupas apertadas ou próprias para um passeio ou balada.

 

A especialista lembra que as pessoas que cometem gafes frequentemente não percebem isso. "Portanto, é bom os colegas orientarem educadamente esse indivíduo, sem dar a conotação de que ele está errado. Leve a pessoa para um local isolado e diga que tal atitude pode prejudicar a imagem dela dentro da empresa", ensina.

 

E aí vão as dicas para quem não quer cometer nenhuma gafe: preste atenção no que está fazendo e procure não fazer duas ou mais coisas ao mesmo tempo enquanto trabalha. Esqueça os problemas pessoais durante o expediente, eles atrapalham bastante. "E lembre-se que tudo o que chama a atenção para assuntos não profissionais pode acabar em gafe", diz Sonia. Por isso, rir exageradamente ou falar muito alto, se vestir de um modo extravagante são comportamentos em geral inapropriados para um funcionário.

 

Mas é claro que há exceções. Ninguém vai vestir traje social numa empresa de publicidade, por exemplo. Para não pagar micos como esse, basta observar e seguir o perfil dos outros funcionários.

 

 

Fonte: Priscilla Nery (MBPress)

Veja também

0 comentários

Participe do blog deixando o seu comentário!